Estereótipos de gênero e apelos retóricos no design gráfico: um modelo de análise

Bianca Mendes Rati, Marcos Namba Beccari

Resumo


Este artigo, baseado no trabalho de conclusão de curso homônimo, discorre a respeito das questões relacionadas a gênero em nossa sociedade, bem como sobre qual a relação do design gráfico com essas questões. Delineia-se o design como manifestação da linguagem que utiliza artifícios retóricos como ethos, logos e pathos em sua concepção para transmitir conceitos e se comunicar. Propõe-se então um modelo de análise com o objetivo de verificar as estratégias retóricas visuais utilizadas em peças de design gráfico que tenham recorte de gênero, e como elas traduzem ou não estereótipos da categoria que representam – no caso deste trabalho, focou-se nas peças voltadas ao público feminino.


Palavras-chave


Design gráfico, gênero, retórica, modelo analítico

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA JUNIOR, Licinio de; NOJIMA, Vera Lúcia. Retórica do design gráfico: da prática à teoria. São Paulo: Blucher, 2010.

ALVES, Branca Moreira; PITANGUY, Jacqueline. O que é feminismo?. São Paulo: Editora Brasiliense. 1985.

AMÂNCIO, Lígia. As assimetrias nas representações do género. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 34, Fevereiro, 1992.

BARNARD, Malcolm. Graphic design as communication. Nova Iorque: Routledge. 2005.

BARROS, Bruno. Design, linguagem e retórica. Estudos em Design, v. 17, n. 02. Rio de Janeiro: aend-br, 2009. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2017.

BONSIEPE, Gui. Design, cultura e sociedade. São Paulo: Blucher, 2011.

BUCHANAN, R. Rethoric, Humanism and Design. In: BUCHANAN, R; MARGOLIN, V. (Eds.). Discovering Design: Explorations in Design Studies. Chicago: The University of Chicago Press, 1995, p. 23-66.

BUCKLEY, Cheryl. Made in patriarchy: toward a feminist analysis of women and design. Design Issues, V. 3, n.2. MIT Press Publication. Autumm, 1986. p. 3-14. Disponível em: . Acesso em: 07 mai. 2017.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 13 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CAMPOS, Fábio Ferreira da Costa; LEITE, Iracema Tatiana; WAECHTER, Hans da Nóbrega. A representação do gênero no design. In: Anais do 9º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo: AEND-Brasil/Anhembi Morumbi, 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2017.

CONSOLO, Cecília (org.). Anatomia do Design: uma análise do design gráfico brasileiro. São Paulo: Blucher, 2009.

COSMÉTICA NEWS. Água de cheiro apresenta Oniric. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2017.

DOBSON, Terry; DOBSON, Saeri Cho. Tip of the icon: Socially Simbolic Indexal Signage. Dialectic, v. 1, n. 1, p. 61-90, 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2017.

DUBBERLY, Hugh. How do you design? A compendium of models. São Francisco: Dubberly Design Office, 2004.

EMANUEL, Bárbara. A retórica da Interação, 2017. Tese (Doutorado) - Escola Superior de Desenho Industrial (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Rio de Janeiro: ESDI-UERJ, 2017.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

____. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FRASCARA, Jorge. Diseño grafico para la gente. Buenos Aires: Ediciones Infinito, 2000.

HORN, Robert E. Visual Language: Global Communication for the 21st Century. Bainbridge Island, Washington: MacroVU, 1998.

KISTMANN, V. B. Interdisciplinaridade: questões quanto à pesquisa e à inovação em design. Estudos em Design (Online), v. 2, p. 81-99, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. 16. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

ONO, Maristela. Design e cultura: uma sintonia essencial. Curitiba: Edição da Autora, 2006.

ORTNER, Sherry B. Is female to male as nature is to culture? In: ROSALDO, M. Z.; LAMPHERE, L. (eds.). Woman, culture and society. Stanford, CA: Stanford University Press, 1974, p. 68-87.

RATI, Bianca Mendes. Estereótipos de gênero e apelos retóricos no design gráfico: um modelo de análise. Trabalho de Conclusão de Curso (Design Gráfico). Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2017.

SEGATO, Rita L. Las estructuras elementales de la violencia. Buenos Aires: Universidade Nacional de Quilmes, 2003.

SOUZA LEITE, João de. O discurso do design gráfico como polifonia. Estudos em Design, v. 5, n. 1, p. 59-68, 1996. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2017.




DOI: https://doi.org/10.35522/eed.v28i1.881

Apontamentos

  • Não há apontamentos.